5/19/2009

Justiceiro

Gostei de "O Justiceiro Em Zona de Guerra"("Punisher War Zone", Diretora: Lexi Alexander, 2008, 112 min.), 3ª produção a levar para o cinema o clássico personagem Justiceiro, da Marvel, que entra em guerra contra todos os criminosos após ter sua esposa e filhos mortos por mafiosos(neste filme, vemos a família de Castle apenas em rápidos flashbacks).













Frank Castle é vivido pelo ator Ray Stevenson, que está bem como o atormentado herói que vive apenas para exterminar todos os bandidos que encontrar pela frente. O vilão do filme, Billy Russoti(o Retalho), é vivido por Dominic West. A cena em que Russoti tem seu rosto destruído por Castle ficou muito boa.

Na história, o Justiceiro já está agindo há algum tempo e tem como ajudante Microchip(vivido por Wayne Knight; personagem bem conhecido pelos fãs das HQs do Justiceiro), que lhe fornece armas e equipamentos. Ele também é ajudado extra-oficialmente por 2 policiais, que lhe dão dicas e informações.

Durante um ataque à Russoti, o Justiceiro acaba matando acidentalmente um agente infiltrado do FBI, fazendo com que sua esposa Angela(Julie Benz) e sua filha Grace(Stephanie Janusauskas) tornem-se alvos do Retalho e seu maníaco irmão Jim(Doug Hutchison).

O Justiceiro sente-se mal por ter matado um homem inocente e decide proteger Angela e Grace. Ele até cogita encerrar a sua cruzada contra a bandidagem, mas volta atrás quando vê que homens como o Retalho sempre estarão à solta para atormentar a vida da população.

Na luta contra o Retalho, o Justiceiro alia-se ainda à Paul Budiansky(Colin Salmon), um agente do FBI que inicialmente queria prendê-lo, mas muda de ideia após ver o Retalho e seu irmão escaparem da prisão depois de um simples acordo com os federais.

O filme tem boas cenas de ação(a briga do Justiceiro contra o irmão do Retalho ficou ótima), muita violência e, apesar de ser previsível(e daquele final fraquinho), é superior às 2 produções anteriores com o personagem, estreladas por Dolph Lundgren e Thomas Jane. Nota do filme: 7,5.

***

Aproveitando este post sobre o filme, comento a seguir a mini-série em 2 partes "Justiceiro - Ano Um", lançada pela Editora Abril em 1996. A história, escrita por Dan Abnett e Andy Lanning e desenhada por Dale Eaglesham, mostra os fatos ocorridos logo após a chacina que vitimou a família de Frank Castle.













Castle, um herói de guerra, no começo tenta cooperar com a polícia(mais precisamente com o detetive John Laviano), identificando os assassinos de sua família e oferecendo-se para testemunhar contra eles. Mas os bandidos conseguem álibis perfeitos e a corrupção da força policial acaba fazendo com que o caso seja arquivado.

Frank tenta, então, encontrar justiça através da imprensa, lidando com o fracassado e bêbado repórter McTeer, do Clarim Diário, que foi quem encontrou os corpos de Maria Castle e seus dois filhos no Central Park, em Nova York.

McTeer pretendia usar a história de Castle para alavancar sua carreira, mas depois de alguns desentendimentos acaba unindo-se à ele na busca de informações sobre a família mafiosa Costa, a responsável pelas mortes dos familiares de Frank.

Os Costa mandam o assassino de aluguel Billy "Beleza" Russo para acabar com as investigações contra eles. McTeer é assassinado e Frank tem sua casa destruída e escapa por pouco da explosão.













Sem nenhuma outra opção, Frank Castle decide fazer as coisas do seu jeito, veste seu uniforme de Justiceiro pela primeira vez e inicia seu diário de guerra.

Em sua 1ª operação, ele extermina 26 bandidos e poupa apenas Billy Russo da morte, para que ele avise os Costa da existência do Justiceiro. É neste momento que ele destrói o rosto de Russo, atirando-o contra uma vidraça. Russo, mais tarde, viraria o vilão Retalho, inimigo de Castle no filme "Punisher War Zone".

Não gostei muito dos desenhos, mas a história é muito boa e mostra com perfeição todo o sofrimento de Frank Castle e as razões que o levaram à transformar-se no Justiceiro. O 1º número da mini-série termina de forma dramática, com Castle pensando em cometer suicídio para acabar com a sua dor.

- Peter Parker(o Homem-Aranha) faz uma pequena participação na história, conversando com McTeer no Clarim Diário.

- O lema que guiará a guerra do Justiceiro contra o crime: "SIC VIS PACEM, PARA BELLUM"("Se quiser a paz, prepare-se para a guerra").

- E, para terminar, uma frase clássica de Frank Castle em seu diário de guerra: "Frank Castle está morto. No entanto, essa notícia ainda não chegou a seu corpo e ele continua se movendo. Não se sabe do que ele é capaz até parar de se mexer."

2 comments:

Kacius said...

Ah, não, decididamente não é melhor que o anterior. Tenta dar uma profundidade mas peca na artificialidade.

Sir Maggot said...

The Punisher War Zone consegue transportar bem a personalidade do Justiceiro, porque o resto foi pura encheção de linguiça. A história ficou totalmente desconexa com a dos quadrinhos e olha que nem é preciso muito esforço pra saber disso. Mas gostei de vc ter elogiado essa mini série que conta um pouco da vida de Castle antes de se tornar o temível Justiceiro (: