10/03/2016

Luke Cage


Muito boa a primeira temporada da série "Luke Cage", mais um fruto da parceria entre a Marvel e a Netflix. Abaixo, seguem dez motivos para assistir aos 13 episódios lançados recentemente:

1. Luke Cage - Mike Colter está muito bem como o protagonista, um relutante herói que só quer ser deixado em paz mas acaba tornando-se o protetor das ruas do Harlem.


2. Os vilões - O gângster Cornell "Boca de Algodão" Stokes(Mahershala Ali) é a grande ameaça dos primeiros 6 episódios, mas ele estava apenas abrindo caminho para os verdadeiros oponentes de Cage: a vereadora corrupta Mariah Dillard(Alfre Woodard), o manipulador Shades(Theo Rossi) e o letal Kid Cascavel(Erik LaRay Harvey). Cascavel é o codinome de Willis Stryker, meio-irmão de Cage, que busca vingança por assuntos mal resolvidos desde a infância de ambos.


3. A origem - o episódio que mostrou como Cage ganhou seus poderes, em um experimento secreto realizado na Penitenciária Seagate, foi um dos pontos altos da temporada.

4. Misty Knight - Simone Missick ficou muito bem como Misty Knight, personagem muito conhecida das HQs da Marvel. Aqui, ela é uma obstinada detetive da polícia, que primeiro tenta prender Cage mas logo acaba descobrindo que ele não é o responsável pela guerra que ameaça toda a população do Harlem.


5. Bom Humor - A série manteve um clima mais sisudo na maior parte do tempo, mas caprichou nos momentos de bom humor, como quando zoou de forma brilhante o visual clássico que Cage tinha nos quadrinhos em suas primeiras aparições(com a camisa amarela aberta no peito e a tiara prateada).


6. Claire Temple - após aparecer em "Demolidor" e em "Jessica Jones", a enfermeira vivida por Rosario Dawson voltou a dar as caras e foi peça muito importante na batalha de Luke Cage contra Cascavel, Dillard e todo o resto da bandidagem vista na série.


7. Boa música - os produtores da série capricharam na escolha das músicas apresentadas na boate "Harlem´s Paradise", gerenciada por "Boca de Algodão". Além disso, Cage ganhou até um rap em sua homenagem.

8. Universo Marvel - apesar de apenas citar alguns personagens, a série soube integrar-se perfeitamente ao Universo Marvel, mostrando como o povo pode ficar contra ou a favor das pessoas com habilidades especiais. A criação das armas(com tecnologia alienígena) capazes de ferir Luke Cage representam também uma ameaça para todos os outros heróis.


9. A conclusão - o episódio final foi bem legal, com um longo confronto entre Luke Cage e Cascavel(usando um traje das Indústrias Hammer) nas ruas do Harlem e a felicidade dos heróis durando bem pouco.


10. Pop - a morte de Pop(Frankie Faison) foi um dos momentos mais emocionantes da série. E mesmo após o desaparecimento do personagem, sua barbearia continou firme e forte até o fim, como um dos principais cenários da produção. Como todo bom "Q.G. de super-heróis", ela foi destruída várias vezes ao longo do caminho.


* Luke Cage foi criado por Archie Goodwin, John Romita e George Tuska e apareceu pela primeira vez na edição 1 de "Hero For Hire"(de junho de 1972).

* Misty Knight foi criada por Tony Isabella, Arvell Jones, Roy Thomas e Ross Andru; e apareceu pela primeira vez na edição 21 de "Marvel Premiere"(lançada em março de 1975).

* O vilão Cascavel foi criado por Archie Goodwin e George Tuska e fez sua estreia no número 2 de "Hero For Hire".


2 comments:

Ozymandias Realista said...

Assisti os primeiros cinco episódios.
Mas achei o episódio 04 o mais fraco.
Boca de Algodão começou como um vilão brilhante e tá perdendo força. Colocar o Shades no lugar, ao meu ver vai ser frustrante, e esse Kid Cascevel, pode ser um equívico.
A trilha sonora tá boa, embora as melhores cancões sejam as que aparecem nos trailers.

Leandro Vargas said...

Eu gostei do episódio da prisão. A série, ao meu ver, deu uma caída entre os episódios 8 e 9, mas começou bem e teve uma conclusão competente.