2/08/2016

Homem-Aranha


O segundo volume da coleção com capas vermelhas da Salvat foi dedicado ao Homem-Aranha e começou trazendo duas aventuras clássicas do herói, ambas produzidas pela dupla Stan Lee e Steve Ditko: sua primeira aparição(em "Amazing Fantasy" 15) e seu primeiro embate contra o Sexteto Sinistro(formado por Dr. Octopus, Kraven, Mystério, Abutre, Electro e Homem-Areia).

O Aranha acaba derrotando seus inimigos(que, num grave erro estratégico, resolvem atacá-lo individualmente) e merecem destaque as hilárias participações de J. Jonah Jameson e da Tia May na aventura.


Depois, a edição traz o arco "Feliz Aniversário" - escrito por J. Michael Straczynski e desenhado por John Romita Jr. - que mostra o Homem-Aranha perdido no tempo como efeito colateral de uma invasão dos sem-mente à Nova York e de um confronto do Doutor Estranho contra o demônio Dormammmu. Após rever o momento em que foi picado pela aranha radioativa e ter um vislumbre do futuro, Peter Parker é forçado a reviver várias de suas batalhas para conseguir voltar ao presente e impedir que Dormammu invada a nossa dimensão e ameace a vida de todos no planeta. Depois que todos os problemas são resolvidos, o Aranha ganha do Dr. Estranho uma conversa de 5 minutos com seu tio Ben.


Esta foi, sem dúvida, uma bela história, e a divertida revista ainda trouxe uma aventura estrelada pela Tia May e uma outra protagonizada por um alfaiate que confecciona os uniformes de vários heróis e vilões.

Refém da Solidão


2/07/2016

O Espírito de Goodnight Lane


Péssimo o filme "O Espírito de Goodnight Lane"("Ghost of Goodnight Lane", 2014, Dur.: 96 min., Dir.: Alin Bijan), que mostra o fantasma de uma garota(a filha de Charles Manson(!)) assombrando um estúdio de cinema para impedir que o prédio fosse demolido. Cenas malfeitas, atuações ridículas e mortes totalmente sem sentido formam esta que é uma das maiores bombas da história dos filmes de terror. Nota: 2.



Wild Ones


2/06/2016

Blecaute

Pai em Dose Dupla


Boa a comédia "Pai em Dose Dupla"("Daddy's Home", 2015, Dur.: 96 min., Dir.: Sean Anders), que conta a história de Brad(Will Ferrell), um pacato executivo de uma rádio que casou-se com Sara(Linda Cardellini) e não poupa esforços para ganhar a confiança de seus 2 filhos. Tudo parecia bem até a chegada de Dusty(Mark Wahlberg), o ausente pai das crianças, que tenta reconstruir a família e inicia uma verdadeira guerra pela atenção dos pequenos Megan e Dylan. Há algumas boas piadas e situações bizarras(como a da partida de basquete) e o final não desaponta. Nota: 6.

Top 5

Mais pôsters de filmes:

1. The Witch(2016)

2. Operation Avalanche (2016)

3. The BFG (2016)

4. 10 Cloverfield Lane (2016)

5. Batman v Superman: Dawn of Justice (2016)

2/05/2016

Creed


Bom o filme "Creed - Nascido para Lutar"("Creed", 2015, Dur.: 133 min., Dir.: Ryan Coogler) que mostra o jovem Adonis Johnson(Michael B. Jordan) largando um bom emprego para investir tudo na carreira de boxeador e seguir os passos de seu pai, o grande campeão Apollo Creed. Adonis consegue que Rocky Balboa(Sylvester Stallone) - um grande amigo de Apollo - seja seu treinador e rapidamente ganha uma grande chance de provar-se digno de honrar o legado deixado pelo nome Creed.


O filme conseguiu modernizar a franquia dos filmes de Balboa sem esquecer do passado e tem um final emocionante. As 2 lutas mostradas na produção são ótimas e a relação familiar construída entre Adonis e Rocky é o ponto alto do longa, com os personagens unindo-se para superar grandes desafios. Stallone mais uma vez mandou muito bem no papel de Rocky, que segue firme e forte nos cinemas desde 1976. Nota: 7,5.

Our Song


Flash + Supergirl

Crossover dos seriados The Flash e Supergirl será produzido


2/04/2016

Ms. Marvel - Nada Normal

"Tá na hora de aplicar o Nerd Fu."


Muito boa a edição "Ms. Marvel - Nada Normal", que trouxe os cinco primeiros números da série mensal da mais nova heroína a usar o codinome Miss Marvel. Com roteiro de G. Willow Wilson e desenhos de Adrian Alphona, as histórias apresentam Kamala Khan, uma garota de 16 anos, que mora em New Jersey, é muçulmana e uma grande fã dos Vingadores.


Querendo apenas ter uma vida "normal" como a dos colegas, Kamala sai de casa à noite(desobecendo os pais) e vai à uma festa recheada de bebidas e adolescentes cruéis. Saindo de lá, ela acaba sendo exposta à bomba terrígena detonada durante a saga "Infinito" e é envolta pelo casulo inumano.

Após sair dele, a jovem logo descobre que ganhou o poder de mudar de forma, podendo crescer ou diminuir, aumentar qualquer parte do corpo e assumir a aparência de qualquer pessoa. Sua primeira ação heróica(usando a aparência de Carol Danvers) é salvar a vida da colega Zoe(a típica garota perfeita e maldosa da escola), que quase afogou-se no rio após deixar a já citada festa.


Kamala gostou da sensação de salvar uma pessoa e decide seguir em frente na carreira de super-heroína, mantendo um visual próprio mas conservando o codinome Miss Marvel(de uma de suas vingadoras favoritas, da qual tem até um pôster na parede do quarto).


O texto de Wilson é leve e divertido, e os desenhos de Alphona(como já ficou provado na série dos "Fugitivos") combinam bem com o universo jovem de Kamala. É impossível não simpatizar com a carismática protagonista da série, que é sonhadora, corajosa e inteligente, combinando as características mais legais de outros jovens heróis de sucesso, como Miles Morales, Peter Parker e - é claro - Kitty Pryde.


Além disso, os codjuvantes da série(a família de Kamala e seus melhores amigos Bruno(também um interesse romântico) e Nakia) também funcionaram e a novata Miss Marvel até já ganhou um arqui-inimigo próprio: o misterioso Inventor. Este é mais um título diferenciado lançado pela Marvel que merece ser acompanhado, e Kamala Khan mostrou ter potencial para tornar-se uma das grandes estrelas do universo da editora no futuro.

Lazarus


2/03/2016

Novíssimos X-Men - X-Men de Ontem


Ótimo o encadernado "Novíssimos X-Men - X-Men de Ontem", que traz os 5 primeiros números da série "All-New X-Men", que tiveram roteiro de Brian Michael Bendis e desenhos de Stuart Immonen. A história mostra os X-Men originais(Ciclope, Jean Grey, Homem de Gelo, Fera e Anjo) sendo trazidos do passado pelo Fera para que o jovem Scott Summers confronte sua versão futura e impeça que as ações de Ciclope venham a causar um "apocalipse mutante".


Esta série dos X-Men é uma das melhores dos últimos tempos, e já nestes primeiros números temos alguns grandes momentos, como a estreia de Eva Bell(a mutante Tempus, capaz de parar e de viajar no tempo), a nova mutação do Fera, o hilário primeiro encontro entre as 2 versões do Homem de Gelo, a jovem Jean Grey descobrindo tudo sobre a sua sofrida vida e a decisão de que o grupo permaneceria no presente(sob a supervisão de Kitty Pryde).


Um gibi imperdível para os fãs dos X-Men, mesmo para aqueles que - como eu - já tinham lido estas aventuras na revista mensal dos personagens.

Run On Love



Comparações

Público da rodada inteira do Carioca não enche nem São Januário

Liga dá R$ 76 mil de lucro e Carioca amarga prejuízo médio de R$ 433 por jogo

2/02/2016

Quarteto Fantástico(2015)


Lamentável o mais recente filme do "Quarteto Fantástico"("Fantastic Four", 2015, Dur.: 100 min., Dir.: Josh Trank), que é até bem feito tecnicamente mas não tem alma, traz um roteiro fraco e ficou longe de levar às telonas a essência verdadeira de uma das maiores equipes de super-heróis das HQs.

Todo mundo sabe que o Quarteto - antes de ser uma equipe - é uma família, e este sentimento de cumplicidade entre seus membros(visto nos 2 filmes anteriores, por exemplo) nunca aparece de forma consistente na história. Assim, não vemos a grande amizade entre Reed e Ben; nem o envolvimento amoroso de Reed com Sue; nem a relação de irmãos de Ben e Johnny ou toda a rivalidade entre Reed e o Dr. Destino.


A preguiça do roteiro ainda é exarcebada pelas atuações burocráticas dos atores, que pareciam não acreditar no que estavam fazendo. Tentando ser sério e realista, o filme acabou saindo frio, sem qualquer sentido e soa como uma grande provocação para a Marvel e seus fãs("olha só o que estamos fazendo com seus queridos personagens").

Não vejo maiores problemas em termos uma equipe mais jovem sendo apresentada, mas todos os personagens acabaram sendo descaracterizados e viraram uma sombra do que são nas boas HQs. E ainda pior do que o Quarteto "sem sal" foi o Victor von Doom, que virou um personagem pouco carismático antes de ganhar os poderes e totalmente ridículo e caricato em sua fase "Dr. Destino".

Com um visual bizarro, motivações pífias e um discurso patético, este Dr. Destino deu vergonha de ver e afundou o filme de vez. A segunda parte da produção é um show de horrores, e culmina num dos finais mais sem graça que eu já vi. Fica aquele sentimento de "é só isso?", "não pode ser" e "não acredito".


Na história, os brilhantes e jovens cientistas Reed Richards(Miles Teller), Susan Storm(Kate Mara) e Victor von Doom(Toby Kebbell) criam um portal que leva à uma nova dimensão, chamada de "planeta zero"(não sei porque não usaram a superconhecida "zona negativa"). Junto com Johnny(irmão adotivo(?!) de Sue, interpretado por Michael B. Jordan) e Ben(amigo de infância de Reed, vivido por Jamie Bell), Reed e von Doom vão até esta outra dimensão e lá todos ganham seus poderes, vindos das energias que constituem o planeta.

Numa outra decisão questionável, Sue não faz parte da viagem e ganha suas habilidades após ser atingida por uma onda de choque vinda da nova dimensão. Doom fica preso no planeta, e lá cultiva seus vastos poderes e pelo jeito enlouquece, pois seu plano de destruir a Terra e ficar sozinho no Planeta Zero não tem pé nem cabeça.


Após voltar à Terra, Reed afasta-se dos companheiros(?!), que - enquanto esperam por uma possível cura para suas novas condições - passam a colaborar com os militares. Reed é localizado por Sue e capturado por Ben, e seu retorno resulta numa volta ao Planeta Zero, que é quando surge o ridículo Dr. Destino e a equipe une-se(de forma automática e pouco convincente) para impedir que o vilão destrua a Terra, sugando-a por um buraco negro.

Faço eco, então, à todas as justas críticas negativas que o filme sofreu, e isso que eu assisti buscando ver os pontos positivos e tentando dar um desconto. Não deu! Pouca coisa se salva(o começo até que funciona) e as inúmeras alterações na estrutura do Quarteto são indefensáveis. Nota: 4.

Quarteto Fantástico(2005 e 2007)

Mesmo com algumas falhas, os filmes do Quarteto Fantástico lançados na década passada por enquanto continuam sendo os melhores que os personagens tiveram. Abaixo, breves comentários sobre as produções e as notas do blog:


Quarteto Fantástico("Fantastic Four", 2005, Dur.: 106 min., Dir.: Tom Story) - mais uma comédia que um filme de super-heróis, acertou por ter mostrado a equipe como uma família. Ioan Gruffudd está muito bem como Reed Richards, Chris Evans não compromete como Johhny Storm e Michael Chiklis construiu uma boa versão de Ben Grimm(embora o visual do Coisa não seja lá essas coisas). Jessica Alba talvez não fosse a atriz mais indicada para viver Sue Storm, mas é bela e talentosa o suficiente para convencer no papel de uma super-heroína forte como a Mulher Invisível.


O grande problema aqui acaba sendo o Dr. Destino de Julian McMahon, que está longe de ter o carisma e a força de um dos maiores vilões da Marvel e ainda foi totalmente descaracterizado, recebendo poderes elétricos(?!) e falas bem irritantes. O filme não chega a deslanchar em nenhum momento, mas tem algumas cenas divertidas e conta com a clássica participação especial de Stan Lee(que aconteceria novamente no outro filme). Nota: 6.

Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado("4: Rise of the Silver Surfer", 2007, Dur.: 92 min., Dir.: Tim Story) - repetindo o mesmo elenco do primeiro filme, este acaba sendo melhor por ter mais ação e pela introdução do Surfista Prateado(vivido por Laurence Fishburne(voz) e Doug Jones), que ficou bem legal, embora tenham diminuído seus poderes. A cena em que ele é perseguido pelo Tocha por entre os prédios é um dos pontos altos das 2 produções.


McMahon infelizmente voltou como Dr. Destino, mas aqui pelo menos o personagem não compromete, pois primeiro rouba os poderes do Surfista(assim como nas HQs) e depois participa de uma bela batalha aérea contra o Quarteto, que rendeu outro grande momento: o Tocha Humana lutando contra seu arqui-inimigo usando os poderes combinados de seus colegas, numa clara referência ao vilão Superskrull, um dos grande oponentes da equipe nos gibis.


Aquelas trocas de poderes entre os membros do Quarteto também funcionou, e as piadas foram um pouco melhor distribuídas(embora a dancinha do Reed mereça um destaque negativo). O filme traz ainda o casamento de Reed com Sue(que ficou longe do grande evento que merecia ser), a participação de Frankie Raye(que, nos quadrinhos, é a personagem Nova) e a ameaça de Galactus à Terra. O vilão foi retratado em sua versão Ultimate, que é mais apropriada para os cinemas do que um gigante de bermuda, mas foi derrotado muito facilmente e merecia um tratamento melhor. Nota: 7.


Só sei que quem reclamava destas 2 produções acabou arrependendo-se, pois o filme mais recente mostrou que o pior ainda estava por vir.